quinta-feira, 10 de abril de 2014

Condenado por inserir agulhas no corpo do enteado de apenas 2 anos foi transferido para Salvador

Condenado a mais de 12 anos de prisão por inserir agulhas no corpo do enteado de apenas 2 anos foi transferido nesta quinta-feira (10) da delegacia de Bom Jesus da Lapa para o Complexo Penitenciário de Mata Escura, na capital baiana, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), informou o Correio da Bahia.
Roberto Carlos Magalhães foi condenado por tentativa de homicídio triplamente qualificada há quase um mês pelo crime, mesmo negando sua participação no caso em juízo. Ele já cumpriu mais de cinco anos de prisão enquanto aguardava o julgamento e deve cumprir o resto da pena em Salvador.  O crime foi no ano de 2009 na cidade de Ibotirama.
Atualmente, o garoto tem 7 anos e ainda mora em Ibotirama. Quatro agulhas não foram retiradas do corpo da criança, pois ficam em pontos que não são perigosos.
Entenda o caso
O pequeno Márcio teve 31 agulhas introduzidas no corpo pelo seu ex-padrasto Roberto Carlos Magalhães, durante ritual no final de 2009 em Ibotirama, a 648 quilômetros de Salvador. O ex-padrasto do menino inicialmente confessou o crime e disse que queria matar Márcio para atingir a mãe do menino de quem já era divorciado.
O acusado estava preso na delegacia de Ibotirama. A amante dele, Angelina Capistana dos Santos, que também é investigada no processo por participação no crime, responde as acusações em liberdade. O menino passou por três cirurgias em Salvador, que retiraram 27 das 31 agulhas que foram inseridas no seu corpo.