Jequié: Veja o que fala o Decreto Municipal 22.175 sobre as medidas do Covid-19

Visite nosso Instagram

sábado, 30 de agosto de 2014

Audiência Pública debate Gestão hídrica da Barragem de Pedra


O Ministério Público Federal e a Promotoria Regional do Meio Ambiente de Jequié realizaram na manhã desta sexta-feira (29/08), na Câmara de Vereadores de Jequié, Audiência Publica para debater a gestão hídrica da Barragem de Pedra. A iniciativa atende a uma representação formulada por várias associações de moradores e usuários de água da Barragem de Pedra. Os ribeirinhos questionam a vasão do volume de água da barragem, trazendo assim problemas ambientais e redução na produção agrícola. Essa diminuição no volume de água vem criando um cenário de seca na região.
Foram discutidos a gestão e o aumento da vazão defluente do reservatório da Barragem da Pedra, que é gerida pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), além de suas implicações e riscos à segurança hídrica da região.Participaram do encontro o Procurado da República, Dr. Flávio Pereira da Costa Matias; a Promotora de Justiça Regional Ambiental, Dra. Mônia Lopes de Souza, os representantes da Companhia Hidrelétrica do São Francisco – CHESF, Alysson Souza Barreto Santos (Advogado); Manuel Castro San Martin (Gerente Regional de Operação); Josiane Holz (Divisão de Gestão de Recursos Hídricos); Jorge Duque, representando o INEMA; Aurelino Barros Meira, presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio de Contas; Marcos Airton de Souza Freitas – Agência Nacional de Águas e Wilde Cardoso especialista em Recursos Hídricos (ANA); representantes das associações da Barragem de Pedra, vereadores Soldado Gilvan, Chico de Alfredo; Eliezer Filho; José Simões e a prefeita Tânia Britto. 
O debate serviu para que os órgãos ambientais apresentassem a realidade e situação da Barragem de Pedra.
Segundo a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), o volume de água acumulado da Barragem de Pedra é de 25% em virtude das estiagens prolongadas. A projeção para o final deste ano é de 20% na sua operação. No ano de 2013, o volume chegou a 8%.
A Promotoria Regional do Meio Ambiente cobrou maior fiscalização por parte dos órgãos ambientais, e solicitou apoio da imprensa na conscientização da população para reduzir o desperdício de água.