sábado, 23 de março de 2019

Jequié: Novo pedido de afastamento do prefeito Sergio Suzarte protocolado na Câmara

Dia 26 de março, a Câmara deverá vota o novo pedido de afastamento do prefeito

O líder político Gustavo Figueredo entrou com mais um pedido na Câmara Municipal de Jequié pedindo o afastamento do prefeito de Jequié.  O aviso foi dado nas redes sociais. "Olá meus amigos e minhas amigas de Jequié, cidade amada e querida! Na tarde de ontem (21.mar.2019) ingressei na Câmara de Vereadores de Jequié, Casa Legislativa e legítima representante do povo, em um pedido de apuração e, por conseguinte, afastamento do prefeito de Jequié Sérgio da Gameleira, pelo cometimento de Infração político administrativo no que se refere ao uso dos recursos dos precatórios do FUNDEF.

É de conhecimento de todos que Jequié recebeu em 2017 cerca de 182 milhões de reais de precatórios que somando a juros e correções chegou se ao montante de 205 milhões de reais. O município de Jequié em Janeiro de 2018, por meio de licitação e contrato com a empresa BMV, destinou cerca de 9 milhões para ser investidos nas reformas das unidades escolares da sede e da zona rural. Após visitas dos vereadores, do Conselho de educação e da comissão de reformas, foram detectadas várias inconformidades entre os valores pagos e as obras executadas, em várias escolas em Jequié, exemplo da denúncia em questão, na escola Gersino Coelho, onde foi pago em fevereiro cerca de 62 mil reais para aquela unidade escolar. 

Acontece que, dos valores destinados e pagos pela prefeitura a empresa BMV, para reformar a escola Gersino Coelho, cerca de 28 mil reais não foram identificados em obras, como consta de infraestrutura e superestrutura, conforme planilha apresentada no TCM, o que nos revela claramente que o prefeito realizou de forma antecipada o pagamento de obra não realizada, o que configura clara e evidente ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA e por conseguinte, Infração político administrativo passivo de cassação de mandato, conforme estabelece o Decreto Lei 201. Esperamos que a Casa do Povo, que nesse momento possui o papel de agente julgador, possa ACOLHER a denúncia e tomar as medidas cabíveis no sentido de proteção do bem público. Esperamos que dessa vez se fizesse valer a frase "Todo Poder emana do povo e em seu nome deve ser exercido"". finalizou Guga Figueredo (Guga)"