sábado, 21 de setembro de 2019

JÁ PAGAMOS A DUPLICAÇÃO DA BR-116



Quando a gente começa cobrar a duplicação da Rio Bahia todo mundo concorda com as vantagens e a segurança para os motoristas e passageiros, evitando sobretudo ceifar vidas e dá mais fluidez no trânsito. Sobretudo como forma de aglutinar mais cidades das margens e próximas da BR-116 na Bahia e Norte de Minas Gerais, para nossa Capital do Sudoeste da Bahia.

O pedágio na Rio Bahia iniciou no dia 07 de dezembro de 2010 e neste ano completará 09 anos de cobrança, ou seja 3.100 dias de cobrança ininterrupta, guarde esse número para facilitar o entendimento.
Nosso pleito é que seja duplicada 240 km, da divisa de Minas Gerais com Bahia até Jequié, neste trecho temos três pedágios: No Km 698 em Jequié, no Km 773 no Município de Planalto e o do Km 873 no povoado de Veredinha em Vitória da Conquista.

O menor valor cobrado num automóvel é R$ 5,10 e o mais caro R$ 30,60 fazendo uma média entre o mais barato e o mais caro, chegamos ao valor de R$ 17,85 (preço aproximado da cobrança por veículo). Segundo o MPF em 2011 o tráfego alcançou 6.500 veículos por dia.

Vamos fazer as contas: 6.500 veículos x a média do pedágio R$ 17,85  significa R$ 116.025,00 por pedágio/dia. Como são três pedágios no trecho que estamos exigindo a duplicação, soma diariamente um faturamento de R$ 348.075,00 cada dia nos 03 trechos. Multiplicando o faturamento diário pela quantidade de dias que está em operação (3.100 dias), representa um faturamento total de aproximadamente R$ 1.079.032.500,00 (um bilhão setenta e nove milhões trinta e dois mil e quinhentos reais) nesse curto período. Claro que não é uma receita líquida, todo mundo sabe.

O valor de um Km de asfalto custa em média R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) como o trecho em questão é de apenas 240 quilômetros o total a ser investido seria na ordem de R$ 240.000.000,00 (duzentos e quarenta milhões de reais) correspondendo a 22% do arrecadado, para duplicação da nossa BR 116.

JOSE MARIA CAIRES
Conquista Pode Mais