quarta-feira, 23 de outubro de 2019

AATAE É HOMENAGEADA PELA CÂMARA POR INICIATIVA DA VEREADORA LANINHA


A Associação Acolher & Transformar: Amor Essencial – AATAE – que faz um belíssimo trabalho em Jequié em prol das vítimas de câncer e seus familiares foi homenageada pela Câmara Municipal de Jequié, por iniciativa da vereador Joselane Ferreira – Laninha, na Sessão desta terça-feira, dia 22 de outubro de 2019, com uma Moção de Aplausos.
Para a vereadora Laninha, a Associação Acolher & Transformar: Amor Essencial (AATAE) realiza um lindo trabalho de apoio ao paciente com câncer. “Agradecemos e parabenizamos aos idealizadoras desse projeto. É um grupo com vivência, sensibilidade e força de vontade, proporcionando à AATAE como característica maior: o trabalho voluntário, feito com muito amor”.
“Sabemos que a luta contra o câncer é diária e a prevenção ainda é primordial para se evitar a doença ou diagnosticar de maneira precoce o câncer com maiores chances de cura. E com o trabalho da AATAE é o sonho se transformando em realidade”, enfatiza Laninha.
A AATAE tem como objetivo auxiliar o paciente oncológico com a atuação de uma equipe multidisciplinar: Psicólogos, Fisioterapeutas, Nutricionistas, Assistentes Sociais, Técnicos de Enfermagem, Enfermeiros, Médicos, Advogados, Profissional de Educação Física e Massoterapeuta.

O câncer constitui um grande problema de saúde pública. E o projeto vem proporcionar um desenvolvimento de trabalho educativo para a comunidade com o propósito de trazer a prevenção e o diagnóstico precoce, destacando a necessidade de uma transformação fundamental para a implementação de uma vida saudável.
“Em nome dessa história, gostaria de destacar a diretora da Instituição, Célia de Jesus Silva, que com humildade e simplicidade relatou toda sua história de vida nas redes sociais, mostrado a dificuldade e ao mesmo tempo a esperança da cura do Câncer de Mama que foi acometida.
Desse modo irei aqui relatar a sua fala:
– Meu nome é Célia de Jesus Silva e fui diagnosticada com Câncer de Mama em janeiro de 2016. Quando recebi o diagnóstico perdi o chão… Não consegui entender como uma pessoa jovem que nunca fumou e não tinha caso de Câncer de Mama na família poderia ter sido acometida por uma doença dessas!  Ao ser confrontada pela Morte (Sim, eu pensei que fosse morrer!), esse é o primeiro pensamento que nos vem à cabeça, percebi o quanto estava vivendo no piloto automático.
O Câncer me chutou da minha zona de conforto e me acordou para vida.
É engraçado mais é sério.
Comecei então a minha jornada e meus médicos foram ótimos, desde o cirurgião, que foi o competente Dr. Jacobson Britto, como diz minha amiga Soraia Argolo, “O bonitão”, por sinal, o meu favorito, que acredita em mim e no meu potencial. O médico que realizou a quimioterapia, Dr. Adriano Fernandes, que o amo também, Na etapa de radioterapia passei por três médicos diferentes, mas o que me acompanha agora o chamamos de Dr. “Malvado”. Não perguntem por quê.  E Dra. Geísa a minha psicóloga onde costumo chorar. Mas é um choro que me faz bem.
Para mim praticamente são inúteis as recomendações sobre o que comer, porque o mais gostoso nunca pode o que evitar, querem nos botar numa prisão, como me exercitar, odeio academia e aí vou obrigada, um dizendo não pode pegar peso, tenho que ficar olhando, ridículo, outro dizendo não  pode isso, não pode aquilo; acho um saco, mais sei que todos me amam e não querem me perder.
Em meio ao vale que passava pela minha vida tinha que sorrir porque minhas filhas falavam assim: se minha mãe estiver sorrindo então sorrimos também…  Então eu era obrigada a sorrir.
Mas quando fraquejava minha amiga Jocélia Mota estava sempre lá me dando força.
Hoje eu acredito que venci o câncer. Na medida em que vou me munindo de amor sinto mais encorajada a vencer todos os desafios que a doença me impõe.
Permitir-me superar meus sentimentos iniciais de desamparo e adotar uma atitude mais proativa em relação vida.
Hoje estou aqui para dizer que existe muita vida além do Câncer. O câncer não é SENTENÇA DE MORTE! Não gosto da frase “aprendi a viver o câncer”. Gosto da frase “aprendi a confrontar e dominar o câncer”, Isso soa mais leve.
Nunca me senti perdida porque tenho amigos, não vou citar nomes para não esquecer de algum, uma igreja para orar por mim e me confortar, e a família que foi primordial sem esquecer meus genros que amo Elton Miranda e Luan Cunha, as minhas filhas Talinne Silva e Jalinne Silva que são minha vida. Todos eles ajudaram-me a RECONSTRUIR a minha VIDA com ferramentas práticas e fáceis que ajudaram a retomar o meu Controle Emocional.
 Hoje levo uma VIDA SEM MEDO do CÂNCER: e especialmente tento levar Esperança, Confiança e Motivação aos que são acometidos por ele porque eu decidi cuidar de vidas, eu escolhi ajudar pessoas…
Resolvi criar uma associação AATAE e hoje estou aqui junto e misturada, sou uma vencedora e amiga íntima do Senhor Deus como diz um dos meus amigos que também acredita que sonhos se tornam realidade.  Então dou asas aos sonhos. Ali estou aprendendo a amar as diferenças e confesso é muito difícil.
Eu acredito ainda na humanidade…
Um sonho persistente meu é que poderíamos nos agarrar uns aos outros e ter nosso Hospital do Câncer. Podemos não extinguir o câncer das outras cidades, mas da nossa cidade sim.
Sei que não fui selecionada a dedo não, apenas ouvi a voz do meu coração e todos podem ouvi-la do seu também e decidir mudar rumo de sua história dolorida, isto é fazer do limão uma limonada.
Eu não sou uma pessoa diferente, não! Apenas amo para ser amada, isso é uma troca perfeita.  Sou forte o bastante para suportar e superar as barreiras da vida porque Deus é comigo e para o paraíso quero somente a passagem de ida… Um dia.
Aprendi nesta nova caminhada que um olhar bonito conquista muitos olhares, mas uma bela atitude encanta muitos corações.
Aprendi também a valorizar acima de tudo o amor que eu recebo.
Hoje não quero que minha vida seja uma rua onde muitos passam e poucos ficam, quero fazer dela um paraíso onde muitos querem estar e permanecer.
Quero também dizer que na AATAE temos vários guerreiros e que lá somos Super Heróis que não têm capa vermelha, nem usa sua teia, não tem arma secreta, nem máscara discreta, a nossa identidade está num abraço apertado e num carinho que faz tão bem! Temos tanto pra falar, mas decidimos mostrar o tanto de amor que temos pra dar… Que tipo de Heróis somos nós?  Aqueles que usam somente o coração!”