domingo, 1 de março de 2020

Passeio de barco entre Canavieiras e Belmonte no Sul da Bahia







Uma aventura deliciosa, cerca de uma hora e meia navegando entre mar, rios e manguezais alternando as águas ora salgadas, ora doces dos rios Pardo e Jequitinhonha. A exuberância da natureza contemplada em cada pedacinho pelos olhos curiosidade dos navegantes. Depois de curtir o carnaval no centro histórico de Canavieiras, com machinhas revivendo os velhos carnavais, o passeio veio para relaxar os dias de folias. Inicialmente um banho esfoliante de lama preta onde o Rio Pardo encontra o mar, num desses caprichos na natureza quando a maré baixa deixando à vista um vasto banco de areia com água rasinha e morna. Segundo o guia Josemar, a lama negra é terapêutica, muito apreciada por turistas, principalmente os estrangeiros por sua composição medicinal. Realmente, depois que a lama seca e é retirada, percebe-se uma suavidade na pele.
Segue-se o passeio com um refrescante banho nas piscinas naturais na maré vazante, logo após, uma hora de viagem pelos canais apertados entre manguezais onde pode-se ver todo tipo de caranguejos, siris, ostras e moluscos incrustados nas raízes que margeiam o mangue até a histórica cidade de Belmonte, uma cidadela que desemboca as águas do imponente  Rio Jequitinhonha empurrando as águas salgadas do mar  deixando sua doçura tomar conta do porto da pequena cidade, cuja praia de águas escuras conhecida pelo nome de “Praia Morena”. (com as chuvas periódicas nas cabeceiras do rio, a água chega barreta lembrando o Rio Preto e Solimões no estado do Pará).
O casario antigo de mais de um século encanta turistas e orgulha os moradores, apesar de muitas ruínas serem lembradas pelo estrago da Vassoura-de-bruxa na cultura cacaueira que quase dizimou as enormes plantações de cacau em todo sul baiano.
Na barraca de praia do Viana experimentamos um saboroso Robalo,  peixe abundante na região, cuidadosamente preparado ao molho de camarão e creme de leite. O passeio gastronômico segue conduzido por seu Pedro, taxista e guia turístico até a doçaria de dona Pombinha. Somos recebidos no casarão antigo e agradável por seu Joaquim, um encantador filho de portugueses onde somos conduzidos a uma mesa repleta de doces e bebidas: licores, queijadinha, doce de maracujá, cocadas de diversos sabores e frutas diferentes. O licor de jabuticaba, hum! uma delícia! Seu Joaquim nos conta que conhece Jequié e já criou minhocas na vizinha cidade de Iramaia, atividade que ele adora.
A ilha das Garças é um show à parte. Final de tarde retornando da cidade de Belmonte, o sobrevoou das aves deixa o roteiro mais que agradável. O por do sol doura as águas que refletem a silueta esbelta das aves que sobrevoam sobre nossas cabeças procurando apoleirar-se nos galhos sob os últimos raios de luz.
O passeio de barco até Belmonte é oferecido pelos hotéis e também por marinheiros no Cais Municipal de Canavieiras que infelizmente, não se pode deixar de notar, vive o transtorno com o lixo, responsabilidade do setor administrativo. Os barqueiros buscam a preservação e cuidado com o meio ambiente, contudo, segundo alguns moradores, o prefeito está mais preocupado com o Rock do que com a coleta eficiente do lixo; única situação que desconforta o turista.
A diferença nos preços de serviços (vários, inclusive passeio) oferecidos por hotéis, resorts e pousadas chegam a mais de 50%, comparado aos oferecidos por particulares no centro comercial, afinal, economia é sempre bom. Veja Vídeo!