domingo, 28 de junho de 2020

VEREADOR DA MAIORIA (OPOSIÇÃO) REPUDIA GESTOR MUNICIPAL PELO CORTE DA REGÊNCIA DOS PROFESSORES


Neste mês de julho 2020, completa um ano da retirada da gratificação da regência dos professores da rede municipal de ensino.
O corte da regência ocorreu por meio de um Decreto do Executivo Municipal, o que ocorreu de maneira ilegal, pois a gratificação estaria amparada em duas Leis municipais. Ou seja, jamais um decreto poderia suprimir direitos estabelecidos em Leis aprovadas pelo Legislativo Municipal.
Com isso, o prefeito Sérgio da Gameleira, além de ter reduzido os salários do magistério, provocou déficit nos cofres do Instituto de Previdência de Jequié ( IPREJ), que compromete a aposentadoria dos servidores públicos municipais.
O IPREJ, possui uma fila de servidores com processos de aposentadoria e não pode receber, pois possui prejuízos de mais de R$ 41 milhões praticados pela falta de pagamentos de parcelamentos e reparcelamentos.
O Gestor Municipal colocou o IPREJ numa situação delicada ainda maior, pois quando diminuiu os salários dos servidores, trouxe também impactos negativos de mais de 600 mil reais ao Instituto nos repasses.
Segundo o vereador  Soldado Gilvan "O Gestor já responde ação civil pública na justiça movida pelo Ministério Público Estadual, com bloqueio de R$ 7 milhões de seus bens pessoais ou familiares, justamente por conta do IPREJ".
O corte da Regência dos profissionais do Magistério representa a falta de valorização dessa categoria de trabalhadores, justamente o oposto do que a Lei estabelece.



Nenhum comentário: