Execução na Feirinha do Joaquim Romão soma 61 homicídios este ano, fazendo mais uma vítima da violência urbana em Jequié

Visite nosso Instagram

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

No Sumidouro do Espelho




"Ser cidadão é ter direito a vida... ter direitos civis. É também participar do destino da sociedade, votar, ser votado, ter direitos políticos  Os direitos civis e políticos não asseguram a democracia sem os direitos sociais...O direito à educação, ao trabalho, ao salário justo à saúde, a uma velhice tranquila..." 

Hoje eu acordei reflexiva acerca da tirania que vem acontecendo em nossa cidade. Isso porque as últimas ações da atual gestão municipal têm revelado sua face obscura do sentido semântico da palavra tirania, juntamente por estar relacionada a toda opressão, crueldade e abuso de poder, em relação aos profissionais da educação do município de Jequié. 
Atitude tão absurda que chega a ferir os princípios das “Cláusulas Pétreas”, as quais dizem respeito às limitações materiais ao poder de reforma da constituição do Estado, e sendo assim, tornam-se dispositivos que não podem e nem devem ser alterados, nem por meio de emenda constitucional. A sensação que nos dá é que vivemos em uma “Republiqueta das Bananas”, onde se brinca de “Que Rei Sou Eu?”, materializando a figura esdrúxula de um Ravengar, bruxo vilão que  maquiavelicamente, trama atrocidades contra o povo Avilan.
Só espero que as representações políticas dessa cidade “Sol” se posicionem no sentido de impedir tais despautérios, pois o povo de “Avilan” está assistindo atentamente a cada episódio desse folhetim real, em suas casas, alcovas e pradarias. E sussurram aos ventos que as próximas eleições são portas entreabertas e como diria o poeta Gonzaguinha: “num jogo de culpa que faz tanto mal, estamos buscando a palavra mais certa! Vê se entende o nosso grito de alerta!”
Infelizmente, nesse jogo de maldades recorrentes, assim como os povos semitas no século XVIII a. C, a massa que está se transformando em povo tende a ressuscitar o Código de Hamurabi, conjunto de leis criadas na Mesopotâmia, baseado na lei de talião, “olho por olho, dente por dente”. 
Não podemos esquecer que a vida é um imenso espelho onde vemos refletidas as nossas ações. E é nesse movimento quântico que tem se espelhado contraditoriamente práticas distantes de um discurso que dizia-se em consonância com o desenvolvimento desse município que deveria ser Luz, o qual já foi distrito de Maracás, originado da sesmaria do capitão-mor João Gonçalves da Costa, que sediava a Fazenda Borda da Mata e mais tarde foi vendida a José de Sá Bittencourt, refugiado na Bahia após o fracasso da Inconfidência Mineira.
Assim sendo, parafraseando a Leila Pinheiro, desejo que jamais esqueçamos que o nosso catavento tem dentro o que há do lado de fora de vossos girassóis. 
É uma pena que na atual gestão nos encontramos:
“Entre o escancaro e o contido,
Eu te pedi sustenido
E você riu bemol
Você só pensa no espaço,
Eu exigi duração
Quando eu respeito os sinais vejo você de patins
Vindo na contramão
Eu sou você que se vai
No sumidouro do espelho”

Rita Vieira

 "Um fascista é alguém que diz falar por uma nação ou um grupo, não se preocupa com os direitos dos outros, e está sempre disposto a usar de violência ou qualquer outro meio necessário para atingir seus objetivos".