quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Ganha repercussão nota de repúdios dos professores contra o vereador José Simões

Nota de repúdio ganha repercussão em Jequié
A APLB Sindicato, delegacia de Jequié, enviou nota aos veículos de comunicação repudiando a atitude do  vereador José Simões de Carvalho por meio de nota  pública. "A APLB Sindicato manifesta sua indignação e REPUDIA a atitude do Vereador do Município de Jequié, Sr José Simões de Carvalho, que no último dia 15 de outubro de 2019, em Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Vereadores, usou a Tribuna, onde parte da sua fala se referiu aos “Professores do Município” com o uso de expressões que os ofendem, como também desmerecem a sua prática docente. Algumas dessas expressões: “ Visitar 06 escolas da Zona Urbana no nono ano e você vai estarrecer com a condição de um ditado que vai passar para a turma. ” “Direito tem, quem direito anda. No dia que os professores tiverem compromisso com a sala de aula, com o alunado. ” “Tem professor que chega na Zona Rural oito horas e sai dez e meia. ” “No colégio de grande porte fica quatro, cinco professores no mesmo pavilhão ali batendo papo. ” “No dia que fizermos o mínimo pelos nossos alunados.” É um caso lamentável de retaliação, pois foi uma tentativa de convencer aos vereadores presentes a se posicionarem contra um direito histórico dos professores municipais, que é o retorno da Gratificação Valorização/Regência conforme determina a Lei Municipal 1. 613/2004 e que foi retirada da categoria, sem qualquer diálogo, através de um Decreto do Executivo Municipal, passando por cima de uma Lei aprovada na Câmara Municipal de Vereadores. A educação deveria ser um princípio básico a ser resguardado e priorizado pelo setor público. E é óbvio para qualquer pessoa de bom senso que uma educação de qualidade exige necessariamente a valorização dos que operam na prática o processo educacional. No entanto, infelizmente, o que nos deparamos são com ofensas vindas de um vereador que tem como função básica a de legislar. Estamos todos, sindicato e categoria, não só indignados, mas profundamente tristes com essa situação. Prestamos solidariedade aos professores municipais e EXIGIMOS RESPEITO para com esses profissionais. Nem herói, nem culpado, Professor tem de ser valorizado!", finaliza a nota.