Vereador João Paulo: Crianças visitam gabinete da Câmara Municipal

Visite nosso Instagram

segunda-feira, 31 de maio de 2021

Plenária dos bancários discute greve por vacina

Os bancários estão na linha de frente desde o início da pandemia do coronavírus, em março de 2020. Embora estejam altamente expostos à Covid-19 – trabalham em ambiente fechado e no atendimento a milhões de pessoas -, os trabalhadores estão de fora do PNO (Plano Nacional de Operacionalização), do Ministério da Saúde. Agora, a categoria está mobilizada pela inclusão no grupo prioritário.

Inclusive, na segunda-feira (31/05), a Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe realiza uma plenária para discutir a possibilidade de greve pela vacina. O debate começa às 19h, pelo Zoom. É fundamental que a categoria participe em massa, para demonstrar força e disposição pela luta.

Participe da reunião através do link: https://us02web.zoom.us/j/82550816973?pwd=NFdoOGxLbHkvQlB3UFVEaWxMUktsdz09

Os Sindicatos dos Bancários da Bahia e Sergipe não tem medido esforços para conseguirem a imunização dos trabalhadores. Desde dezembro faz solicitações ao Ministério da Saúde. Também se articula no Congresso Nacional, onde um projeto de lei discute a vacinação da categoria, e cobra atuação da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) junto ao governo federal.


No âmbito estadual, fez audiências com o Ministério Público e as secretarias de Saúde do Estado e dos municípios. Em Salvador, conseguiu aprovar um projeto de indicação do vereador Augusto Vasconcelos, que inclui os bancários na vacinação. Paralelamente realiza manifestações nas agências e protestos virtuais e articula a votação de um PL na Alba (Assembleia Legislativa da Bahia).
Nacionalmente, o Comando dos Bancários já avalia a possibilidade de medidas judiciais. É inconcebível que a categoria continue de fora do plano de imunização. Importante lembrar que dados do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) revelam que no primeiro trimestre de 2021 foram registrados 152 desligamentos por mortes na categoria, alta de 176,4% na comparação com 2020, quando foram feitos 55. O agravamento da pandemia pode explicar a explosão de óbitos.

Nenhum comentário: