Até que o problema seja reparado, a população poderá solicitar o SAMU através dos números: (73) 98236-8194 (73) 3527 2036

Visite nosso Instagram

domingo, 3 de outubro de 2021

Mais de 30 cidades baianas realizam atos pelo impeachment de Bolsonaro

Protestos acontecem neste sábado, 02, em diversas regiões do estado e mostram crescente rejeição ao governo federal

Mais de trinta cidades baianas realizam atos pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro, neste sábado, 02. As manifestações foram organizadas por uma frente ampla de partidos - como o PT, PCdoB, PSB, PSOL, PDT, REDE, PV, PCO e PCB - em conjunto com centrais sindicais e movimentos populares para protestar também contra a condução do presidente na pandemia, que vitimou quase 600 mil pessoas no Brasil, pela vacinação de todos e todas, contra os atos antidemocráticos de Jair Bolsonaro, pelo retorno do auxílio emergencial de R$600 até o fim da pandemia e contra a volta da fome e o desemprego, que atingiu patamar histórico de 15 milhões de desempregados.

Nesta manhã, os protestos acontecem em Salvador, no Campo Grande, onde estão presentes milhares de pessoas, e também em cidades como Alagoinhas, com manifestação na Praça Rui Barbosa, Amargosa, na Praça dos Correios, Camaçari, no Condomínio Moradas do Sabiá, Ilhéus, na Praça Cairu e Irecê, na Praça do DERMI, dentre outros municípios de diversas regiões do estado. Já nas cidades de Cícero Dantas, Itapetininga, Morro do Chapéu, Santa Maria da Vitória e Teixeira de Freitas, os atos serão realizados pela tarde.

O número de cidades que se somou às mobilizações neste sábado, 02, é superior ao do último ato, em 7 de setembro, quando foram realizadas manifestações em cerca de 20 municípios, e mostra a crescente rejeição da população ao governo federal. Responsável também pela volta da inflação, com consequências diretas no aumento do preço dos alimentos, a gestão de Jair Bolsonaro é avaliada como péssima para 53% dos brasileiros, segundo pesquisa Ipec, divulgada no último dia 22.

O presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares, atribuiu o crescente descontentamento da população à condução desastrosa do Presidente da República. "Bolsonaro está há mil dias à frente do governo federal e nada fez para melhorar a vida do povo. Pelo contrário, é desemprego, inflação, fome e vidas perdidas pela incompetência e desumanidade do Presidente".

Medidas - Assim como nas primeiras quatro manifestações pelo impeachment de Bolsonaro realizadas na Bahia, nos meses de maio, junho, agosto e setembro, a recomendação dos organizadores foi pela adoção de medidas de segurança sanitárias, como manter o distanciamento social, utilizar máscaras de proteção e álcool em gel para evitar contaminações.

Um comentário:

Zenilton meira disse...

Que PT temoso.
Tá no chão e não.
Se conforma.
Deixe Bolsonaro trabalhar.
Terminar as obras paralisadas do PT.