Execução na Feirinha do Joaquim Romão soma 61 homicídios este ano, fazendo mais uma vítima da violência urbana em Jequié

Visite nosso Instagram

sexta-feira, 19 de novembro de 2021

Salvador: CEE-BA realiza sessão plenária, no Curuzu, em reconhecimento ao pioneirismo do Ilê Aiyê na educação antirracista

Diretamente da sede do Ilê Aiyê, na Senzala do Barro Preto, localizada no bairro da Liberdade, o Conselho Estadual de Educação da Bahia (CEE-BA) realizará uma sessão plenária temática, em reconhecimento ao pioneirismo do Ilê na educação antirracista. O encontro está marcado para terça-feira, 23 de novembro, a partir das 14h, sendo uma das ações do Novembro Negro, mês de luta e combate ao racismo.

O Ilê apresentará o projeto “Ilê Aiyê é arte, educação e oportunidade”. A Educação está ligada intrinsecamente à história do primeiro bloco afro do Brasil. Fundado em 1974, fruto da ação da ialorixá Hilda Dias dos Santos (1923-2009), a Mãe Hilda Jitolu, e de seu filho Antônio Carlos dos Santos, Vovô, o grupo promove a expansão da cultura de origem africana no país, passando a ser um importante pilar na desconstrução da democracia racial na sociedade brasileira e, particularmente, na Bahia.

A produção da sua obra engloba música, dança, ilustração e vestuário, além dos projetos de extensão pedagógica, que também contribuíram na formação de professores. A partir de 1995, o Ilê passou a construir uma série de Cadernos de Educação, material utilizado em escolas do bairro, em especial na Escola Mãe Hilda – uma instituição de ensino formal, de 1ª a 3ª série de ensino fundamental – que se destaca com uma grade curricular, contemplando a cultura negra, e a “Escola de Percussão Banda Erê”. Estas publicações antecedem a Lei Federal nº 10.639/2003, que incluiu a obrigatoriedade dos estudos de história e cultura afro-brasileira no currículo oficial da rede pública de ensino.

Por tudo e em reconhecimento ao pioneirismo do Ilê Aiyê, o CEE-BA vai à Senzala do Barro Preto apresentar o anteprojeto de Resolução para a construção coletiva de uma normativa baiana para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena. O presidente do Conselho Estadual de Educação da Bahia, Paulo Gabriel Nacif, destaca a importância de construir o documento conjuntamente com o Ilê Aiyê que, “desde sempre, realizou um trabalho profundo de educação antirracista e contribui para o avanço da pauta das minorias na Bahia, no Brasil e no mundo”.


SERVIÇO


Sessão Plenária Temática (Novembro Negro / Dia da Consciência Negra) em Reconhecimento ao Pioneirismo do Ilê Aiyê na Educação Antirracista

Local: Sede do Ilê Aiyê - Senzala do Barro Preto / Rua do Curuzu, n° 228 - Bairro da Liberdade. Salvador/BA; Data: 23 de novembro de 2021, terça-feira; Horário: A partir das 14h.

Nenhum comentário: