Sicomércio: Novo valor do salário do comércio de Jequié. R$ 1.240 e implantação da cláusula 42

Visite nosso Instagram

quinta-feira, 16 de dezembro de 2021

No Sul da Bahia, Leão visita fazendas de turismo rural e comenta crescimento do PIB do Agronegócios


O Sul da Bahia, região em que se aproveita todo o fruto do cacau e famoso por seu chocolate de origem, ganha um novo capítulo na história cacaueira com o turismo rural. Nesta quinta-feira (16), comitiva do Governo do Estado, liderada pelo vice-governador João Leão, secretário do Planejamento, teve a oportunidade de conhecer duas fazendas, que implementaram o projeto de turismo e visitar duas fábricas de chocolate. Ainda nesta quinta, a SEI anunciou crescimento de 5,1% no PIB do Agronegócio na Bahia no terceiro trimestre de 2021, resultado comemorado pela comitiva.

“Hoje, no dia da abertura da 12ª edição do Festival Internacional do Chocolate e Cacau em Ilhéus, tive a oportunidade de percorrer duas fazendas de cacau, que além de promover a industrialização, estão fomentando o turismo rural, fortalecendo e diversificando a economia no Sul da Bahia. Recebi com alegria ainda a notícia de que o PIB do Agronegócio na Bahia cresceu 5,1% no terceiro trimestre de 2021. Na realidade não é surpresa. Por tudo que já sabemos em relação ao nível de profissionalismo do setor no estado e a sua própria história de crescimento, além da alta demanda externa por produtos”, declara Leão.




A Fazenda Capela Velha, em Uruçuca, foi pioneira no projeto de turismo rural e recebe uma média de 25 a 30 turistas por dia. Segundo o proprietário, Carlos Tomish, são gerados 14 empregos entre fábrica, turismo e campo. “Na indústria todo o cacau é aproveitado. Do fruto in natura é tirado o mel, que resulta em três produtos: geleia, melaço e licor. A amêndoa seca é torrada, da casca é feito chá de cacau e a amêndoa vira nibs, nibs caramelizado, amêndoa drageada e chocolates. Para nós foi uma surpresa enorme a rapidez que o negócio tomou corpo porque estávamos imaginando uma demora maior para amadurecer o projeto, que hoje flui normalmente”, diz.

A comitiva esteve ainda na Fazenda Provisão, na região entre Ilhéus e Uruçuca, que recebe em média 200 visitas mensais, disponibiliza hospedagem e passeio turístico no casarão e plantio. Na Biofábrica, situado no distrito de Banco do Pedro, em Ilhéus, primeira unidade do mundo destinada à produção contínua, em escala industrial, de clones de cacaueiros de alta produtividade e resistentes a doenças como vassoura-de-bruxa. No local, está instalado um dos mais modernos laboratórios de micropropagação do Brasil. O equipamento público possui 40 mil m², 20 viveiros e capacidade para armazenar 4,8 milhões de plantas.

"As ações do Governo do Estado são transversais. O investimento em tecnologia na agricultura, para o surgimento do novo cacau e a produção do chocolate, abriu caminho para o incremento do turismo histórico, cultural, gastronômico e ecológico. O roteiro de visitas às fazendas e fábricas, em contato com a Mata Atlântica, ganhou força, além da atração de eventos importantes, como o Festival do Chocolate que Ilhéus sedia, com ocupação hoteleira em quase 100%", ressalta o secretário estadual de Turismo, Maurício Bacelar.

Agronegócios

Em valor monetário, o agronegócio, que apresentou a mesma taxa de crescimento registrada por todo o conjunto da economia na mesma base de comparação, totalizou R$ 21,3 milhões do terceiro trimestre deste ano, o que corresponde a uma fatia de 25,2% da economia baiana no terceiro trimestre. Os segmentos da pecuária, da lavoura temporária e da lavoura permanente foram os que mais contribuíram para o desempenho positivo do setor no período. O PIB do agronegócio baiano é calculado e divulgado pela SEI, autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

De acordo Marcos Lessa, fundador e coordenador do Festival do Chocolate, as presenças oficiais no evento demonstram o prestígio do cacau e do chocolate do Sul da Bahia. “O cacau, o chocolate e a indústria do turismo, matrizes econômicas dessa região, têm total interesse e foco do Estado. A presença das lideranças aqui também é importante porque eles se atualizam do que há de inovação e novidade e verificam que o investimento feito há 10/12 anos, inclusive pelo governador Wagner, reflete hoje em mais de 120 expositores”.

Além dos representantes do governo baiano, estiveram presentes na abertura do Festival do Chocolate, o senador Jaques Wagner e o deputado estadual Eduardo Salles, presidente da Frente Parlamentar do Setor Produtivo da Assembleia Legislativa da Bahia.

Copa do Mundo do Cacau

A medalha de ouro, o maior reconhecimento do cacau no mundo, foi para o baiano João Tavares, que venceu o concurso internacional duas vezes (2010 e 2011), com a variedade de cacau catongo, da fazenda Leolinda, em Uruçuca. Já a medalha de prata foi para sua mãe Angélica Maria Tavares, no mesmo município. Variedade de cacau FL 89 produzida na fazenda que leva seu nome.

Novas fronteiras de cacauicultura

O Governo do Estado, através da Agenda Territorial de Desenvolvimento (AGTER) da Seplan, e apoio de técnicos da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), tem mapeado empreendimentos já implantados ou com potencial de produção de cacau na região Oeste, que já é referência na agricultura irrigada, e no território de Identidade Piemonte do Paraguaçu. A ideia de Leão é dar autossuficiência à Bahia na produção do fruto.

Nenhum comentário: