Joaquim Caíres quer marcação e agendamentos de exames e consultas por meio digital na rede de saúde

Publicidade

sábado, 30 de abril de 2022

João Roma (PL) acusou seus opositores de utilizarem as ações do governo federal de maneira ”dissimulada”.

O deputado federal João Roma (PL) acusou seus opositores de utilizarem as ações do governo federal de maneira ”dissimulada”. Segundo ele, em declaração à imprensa na tarde desta sexta-feira (29), falta ”clareza” aos demais pré-candidatos ao Palácio de Ondina, uma vez que também atacam a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O ex-ministro da Cidadania reuniu apoiadores no restaurante Ferreiro, no Salvador Shopping, para um almoço de adesão. Entre os presentes estava a esposa dele, Roberta Roma, herdeira do espólio eleitoral para uma cadeira na Câmara dos Deputados e o deputado estadual Capitão Alden (PL), que também tenta ser deputado federal.

”Diferente de outros, que de forma dissimulada tentam utilizar de ações do governo federal e atacam o presidente”, apontou Roma ao tratar sobre o assunto.

A fala do o ex-ministro da Cidadania aconteceu após ser provocado sobre um comentário do governador Rui Costa (PT), que disse que ele tinha “coragem” em admitir a relação com Bolsonaro. ”Está muito claro”, afirmou o parlamentar ao se posicionar.

Durante o encontro, ele defendeu a candidatura da sua companheira, Roberta Roma (PL) como uma prova do “protagonismo feminino” do seu grupo: “O papel da mulher na minha [chapa] tem sido cada vez mais de protagonimos e isso tem estmulado várias outras lideranças femininas”. Cerca de 200 pessoas confirmaram a adesão ao projeto do pré-candidato ao Governo da Bahia.

Chapa que, de acordo com ele, ainda não está definida, apesar de ter nomes especulados, como o do apresentador Uziel Bueno.





Nenhum comentário: