Joaquim Caíres quer marcação e agendamentos de exames e consultas por meio digital na rede de saúde

Publicidade

domingo, 12 de junho de 2022

Cartas a Lula: injeção de ânimo nos 580 dias de prisão

Foto: Ricardo Stuckert


Por Claudia Motta

São Paulo – Mais de 25 mil cartas foram enviadas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante os 580 dias da prisão política, em que permaneceu isolado numa cela da Polícia Federal, em Curitiba (PR). Em comum a todas essas missivas, a emoção e o sentimento de gratidão, a solidariedade de quem não se conformava em ver preso, e fora da disputa eleitoral de 2018, o presidente que mudou para melhor a vida de milhões de brasileiros. Conhecer o conteúdo dessas cartas, é mergulhar na história recente de um país de mais de 500 anos que pela primeira vez, durante as governos petistas, viveu uma guinada no sentido da inclusão social. Assim, o livro Querido Lula: cartas a um presidente na prisão (Boitempo Editorial), lançado na noite desta terça-feira (31), no teatro Tuca, em São Paulo, traz, mais do que cartas, o relato de um tempo.

“São histórias de vida, milhões de vidas revolucionadas pela esperança que Lula encarnou e pelas políticas públicas implementadas pelo seu governo e da presidenta Dilma Rousseff”, disse a organizadora do livro, a pesquisadora Maud Chirio. “E escritas num tom de intimidade que só é possível porque Lula é gente da gente. Numa sociedade profundamente desigual, Lula continua do lado do povo.”

E assim como muita gente no teatro, o ex-presidente chorou várias vezes ao ouvir pela voz de artistas e políticos como Fernando Haddad e Dilma Rousseff, os depoimentos contidos em 21 das 46 cartas incluídas no livro. Alguns dos autores das missivas também foram convidados a participar da apresentação feita em formato de teatro e com música ao vivo. leia Mais aqui!


Nenhum comentário: