Jequié: Vereadores de oposição não compareceram na sessão para tomar R$ 25 milhões de empréstimo do BB

Publicidade

sexta-feira, 8 de julho de 2022

Prefeito faz birra para desocupar CSU. Mas quer vender imóveis pertencente ao patrimônio da prefeitura



Sempre foi assim, toda vez que o poder municipal rompe relações com o estado ou vice-versa, pedem para desocupar os imóveis cedidos por ambos, não seria diferente agora na gestão do prefeito Zé Cocá, que aproveitou a janela partidária e rompeu com o governador da Bahia.

O prefeito de Jequié,disse que lhe causou estranheza a ordem do governador Rui Costa para Prefeitura desocupar espaços no Centro Social Urbano - CSU, pertencente ao Estado, no prazo de 30 dias. Alega que foi o próprio governador que pediu ao prefeito que assumisse o espaço e afirma: “não iremos desocupar o espaço, pois eu confio na palavra de um homem”. 

Imóveis para a instalação das secretarias da prefeitura é o que não faltam, ultimamente o prefeito quer desfazer de um prédio na Avenida Rio Branco e terrenos na Avenida César Borges, que poderiam ser utilizado para estes fins e o prefeito não estaria passando pelo perrengue de ser despejado.

Segundo informações, o prefeito explica que as Secretarias de Infraestrutura e de Serviços Públicos ocupam as dependências do CSU, após acordo firmado entre Prefeitura de Jequié e Governo do Estado para que os prédios municipais, da prefeitura velha, que abrigava essas duas secretarias fossem demolidos, permitindo a duplicação da Ponte do Mandacaru. 

Conforme  informação do jornalista Souza Andrade, dão conta de que o governo estadual exige a saída dos órgãos municipais, chegou por meio de um documento da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social.

Para alguns analistas políticos, o prefeito está experimentando o sabor amargo da perseguição política, que ele mesmo vem praticando em Jequié com ex-aliados. Ou seja, quem com ferro fere, com ferro será ferido!


4 comentários:

Benedito Freire Sena disse...

Fico a imaginar essa história em acreditar na palavra de um homem . Nessas caminhadas do Zé com Rui será que ele disse assim : tou com o Senhor meu governador ; se não fosse o senhor eu teria perdido a campanha para o bolsojento , oi D. Aline tamo junto . Coisas do gênero

Benedito Freire Sena disse...

O Museu Histórico também pertence ao Estado . O gestor Alysson Andrade tratou de garantir a manutenção com o Contrato de Comandado firmado com a prefeitura ( governo Sérgio da Gameleira . Quando o Prédio da Biblioteca foi comprado o pensamento do prefeito Reinaldo era garantir espaço também para o arquivo e museu já que boa parte do acervo é fotográfico . O Zé quer vender sem nem consultar a sociedade , os mais velhos , os que conhecem Jequié . Os que o antecederam na administração .O governo do estado poderá pedir o museu para transformar em qualquer coisa . Birra é comum entre politiqueiros

Benedito Freire Sena disse...

Devemos a existência do museu a briga de Raimundo Meira e a ASSAM e ao empenho do então Secretário de Obras Dr. Borges , Cesar Borges , não esqueçam do laço familiar da família Borges ali existente . Tudo realizado como um grande acordo familiar . A garantia foi o fio do bigode , tudo em casa . Tempos depois cuidou_se dos pontos nos is . Os pontos nos is entre Zé e Rui quem souber morre

Cidabrito disse...

Eu acho que o espaço público não nem de Rui nem de Ze Cocar deveria fazer uma votação ou peblecito junto au povo .