Joaquim Caíres quer marcação e agendamentos de exames e consultas por meio digital na rede de saúde

Publicidade

sexta-feira, 14 de outubro de 2022

TCM: Prefeitura de Jequié pode demitir mais de 700 Cargos Comissionados

TCM: Prefeitura de Jequié pode demitir mais de 700 Cargos Comissionados

O Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM), pede ao prefeito de Jequié Zé Cocá que suste de imediato os efeitos da Lei Municipal 2.211/2022 de 25.02.2022 realizando a exoneração de todas os Cargos Comissionados ( Aqueles que são contratados pela prefeitura sem a exigência de concurso e que são escolhidos pelos vereadores e o prefeito),  que tenham sido eventualmente nomeados até o julgamento da liminar. O prefeito terá 60 dias para realizar a dispensa, caso contrario, poderá pagar multa. O despacho é do conselheiro Fernando Vita do TCM, processo 04013e22, denunciado pela 6ª Inspetoria Regional sobre a acusação de irregularidades na criação de contratação de servidores para ocupação de cargos comissionados no município de Jequié.

A Câmara Municipal de Jequié aprovou esta Lei, segundo informações as cegas. O atual gestor pode ter que devolver ao Município os recursos pagos indevidamente.

Segundo especialistas, o servidor de carreira da prefeitura de Jequié não sabe mais trabalhar em alguns setores estratégicos como compra por exemplo, que envolve licitações etc, que faz o município funcionar desde de 2006, certamente vai deixar as ações do atual gestor de mãos atadas. A Prefeitura Municipal por meio do setor jurídico poderá recorrer.


6 comentários:

Benedito Freire Sena disse...

Dizer que o servidor de carreira não sabe mais trabalhar é uma colocação no mínimo desrespeitosa . Os servidores de carreira não são motivados , não passam por treinamento . O que existe é uma negociação entre executivo e legislativo para manutenção do poder e das negociações políticas . Todos sabem que existe uma hipocrisia há muito alimentada pelo sistema a ponto da total falência do instituto que trata da aposentadoria dos funcionários . Ninguém tem coragem de expor com clareza e responsabilidade esse assunto .Tem muito cacique para pouco índio .

Lelito disse...

Não faz concurso, não treina os funcionários efetivos para depois ficar fazendo falas medíocres pra justificar a mediocridade. Parabéns ao TCM por deixar claro aquilo que já falávamos em relação a tantas contratações.

Benedito Freire Sena disse...

Todos os anos é a mesma toada , a mesma cantiga . O que mais intriga é a colocação de que o Município gastou milhões com recursos próprios .isso colocado com pompas e circunstâncias , 700 demitidos representam 700 famílias . Por que a Câmara de Vereadores não traz esse assunto para a sociedade ? Por que a manutenção dessa situação que coloca os funcionários públicos municipais como vampiros sugadores dos recursos ? Que é da coragem desses 19 gnomos e duendes juntamente com o Zé de colocar em pratos limpos este caso ?

Esperamos que agora os vereadores tomem uma atitude, contra o descaso do gestor Zé,com a falta de cumprimento das leis, com relação ao não cumprimento dos planos de cargos e carreiras dos serv disse...

Boa noite,agora esperamos que os vereadores, que são os fiscalizadores eleitos pelo povo,possa cobrar do gestor Zé, que ele cumpra as leis,e pague os servidores, conforme a lei do plano de cargos e carreiras dos servidores do nosso município,porque ficou bem claro com essa denúncia, que quem incha a folha de pagamento não são os efetivos, mas sim essas contratações excedentes.

Gilmar Sampaio disse...

O maior erro que o Ze fez,foi trair Rui Costa,achando ele que o Bozo e o ACM iriam ganhar às eleições,se deu muito mal,sabendo ele que Jequié é PT e à Bahia também é PT,ele urinou fora do pinico e agora vai pagar o preço,pois o próximo Prefeito de Jequié vai ser do PT,Aline ou Euclides Fernandes que hoje é o Grande político da cidade!

Celso disse...

Esta situação tem alguns pontos politicos que merecem observações porque representa prejuizos que vão além. Um deles é garantir os cabos eleitorais custeados pelo município. Outro, é ter servidores submissos e que não questionem. E nomear esses trabalhadores para setores estratégicos, setor se compras, almoxarifado, setores de dispensa é colocar as pessoas para facilitar as negociatas. O servidor efetivo, dificilmente se submeterá às negociatas, superfaturamento, combinaço2es de licitações. Isto facilita as frauses e desvios se recursos. É o que vemos nesse Brasil a fora. E o orçamemto secreto entra neste cenário, e sebdo desviados comna conivência de gestores, deputados e trabalhadores não concursados. É o que muito acontece em nosso País.