Joaquim Caíres quer marcação e agendamentos de exames e consultas por meio digital na rede de saúde

Publicidade

segunda-feira, 14 de novembro de 2022

Pessoas carentes em Jequié não tem acesso a habitação



''Jequié é um dos municípios baianos mais beneficiados pelo Programa Minha Casa Minha Vida no estado da Bahia. Até agora, já foram cerca de 5 mil unidades habitacionais entregues à população'', este eram titulo de matérias de jornalistas em Jequié.

Atualmente quem tinha de acolher, está expulsando e sem oferecer alternativas. "Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Infraestrutura, após denúncia de moradores, realizou uma fiscalização preventiva numa área pública pertencente a Área de Preservação Permanente (APP) nas imediações do Loteamento Jardim Eldorado, Jequiezinho" informa o site oficial da prefeitura de Jequié.

No passado era assim "Nos Residenciais Vida Jequié I e II, os imóveis são do tipo casa sobreposta, com dois quartos, sala, cozinha, área de serviço e banheiro social, além de uma área com completa infraestrutura: ruas pavimentadas, iluminação pública, rede hidro-sanitária, quiosque e área de entretenimento", a população de baixa renda era feliz e nem sabia.   

Assim funcionava o Programa Minha Casa Minha Vida, que atendia famílias com renda de 0 a 3 salários mínimos. As prestações da casa própria eram fixadas entre R$ 25 e R$ 80 por mês, num prazo total de 15 anos para a quitação da dívida.

Mas, a prefeitura de Jequié alega que "Após tentativas frustradas da entrega de notificações aos responsáveis pela invasão e preocupada com a segurança das pessoas que, supostamente, poderiam estar ocupando o local, a Secretaria de Infraestrutura, Secretaria de Desenvolvimento Social, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Guarda Municipal, Conselho Tutelar procedeu com a ação de desocupação do canal e o material que estava sendo usado na ocupação foi recolhido. A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Desenvolvimento Social ofereceu suporte às possíveis famílias que estariam, supostamente, ocupando a área, mas ninguém, até o momento, procurou o atendimento social".

Hoje 14.11.2022 "invasores", falaram em uma entrevista para a rádio 93 FM, que nenhuma alternativa foi proposta pela prefeitura.

Nenhum comentário: